A Prefeitura de Maceió inicia nesta segunda-feira (27), a dose de reforço para grupos prioritários, conforme cronograma do Ministério da Saúde, com o imunizante bivalente da Pfizer. A vacina é denominada bivalente porque protege contra a cepa ancestral de SARS-CoV-2 e a variante Ômicron, visando à prevenção de doenças graves e óbitos por Covid-19.

A dose de reforço será disponibilizada para as pessoas a partir de 12 anos de idade pertencentes a um dos grupos que tiverem completado o esquema básico da vacina Covid-19 (pelo menos duas doses da vacina monovalente) e que a última dose tenha sido administrada há 120 dias (4 meses) ou mais.

“As pessoas que ainda não receberam as duas doses iniciais das vacinas Pfizer, Astrazeneca, Coronavac ou Janssen precisarão, primeiramente completar o esquema primário com as duas doses para, então, receber a vacina bivalente quatro meses após a segunda dose”, reforça a gerente de Imunização de Maceió, Eunice Amorim.

Pessoas que já receberam o primeiro ou segundo reforço (3ª e 4ª dose) da vacina Covid-19 e pertencem a um dos grupos poderão receber o reforço com a Vacina Covid-19 Bivalente 120 dias (4 meses) após a última dose.

Confira os grupos prioritários e previsão de início da vacinação:

Fase 1 (27/02): Pessoas de 70 anos e mais; pessoas vivendo em Instituições de Longa Permanência (a partir de 12 anos) e seus trabalhadores; pessoas imunocomprometidas (a partir dos 12 anos de idade); indígenas (a partir dos 12 anos de idade); ribeirinhos (a partir dos 12 anos de idade) e quilombolas (a partir dos 12 anos de idade).

Fase 2 (06/03): Pessoas de 60 a 69 anos de idade.

Fase 3 (20/03): Gestantes e puérperas.

Fase 4 (17/04): Trabalhadores da saúde.

Fase 5 (17/04): Pessoas com deficiência permanente (a partir de 12 anos de idade); população privada de liberdade (a partir de 18 anos de idade), adolescentes cumprindo medidas socioeducativas (12 a 17 anos) e funcionários do sistema de privação de liberdade.

Documentação necessária para os grupos da primeira fase da vacinação:

– Os idosos necessitarão apresentar um documento de identificação oficial com foto e cartão de vacinação;

– As pessoas pertencentes aos demais grupos prioritários necessitarão apresentar o cartão de vacinação, documento de identidade oficial e uma das documentações comprobatórias quando recomendado;

– As pessoas imunocomprometidas (Veja descrição das condições de imunossupressão e drogas modificadoras da resposta imune) deverão apresentar novamente no ato da vacinação: exames específicos que estabelecem o diagnóstico; relatório médico; receitas para terapêutica específica de condições descritas; cadastros em sistemas específicos do Sistema Único de Saúde; e guia de encaminhamento específico, no caso das pessoas vivendo com HIV (PVHIV). Será retida a cópia e o original da documentação.

– População indígena necessitará apresentar comprovante/declaração de pertencimento firmado pela liderança local.

 Povos e comunidades tradicionais quilombolas deverão apresentar comprovante/declaração de pertencimento, conforme indicado pela Fundação Cultural, Palmares e comprovante de residência;

– Povos e comunidades tradicionais ribeirinhas deverão informar a zona de moradia e preencher autodeclaração de residência ou apresentar comprovante de residência.

Veja detalhes sobre os grupos prioritários e documentação comprobatória.

Locais de vacinação

Maceió Shopping (segunda a sábado, de 9h às 21h)

Pátio Shopping (segunda a sábado, de 15h às 21h / Domingo, das 12h às 18h.

Centro de Atendimento ao Turista (CAT-Praia) – 15h às 21h

Saúde da Gente Infantil, Mulher e nas Grotas – 8h às 20h

E nas 16 unidades que vacinam contra a Covid-19. Confira locais e horários no Vacina Maceió.

Precauções

– Doenças febris agudas: Diante de doenças febris agudas moderadas ou graves, recomenda-se o adiamento da vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença;

– Pessoas com suspeita de Covid-19: É improvável que indivíduos infectados pela Covid-19 (sintomáticos ou assintomáticos) tenham efeito prejudicial sobre a doença. Mas, por precaução orienta-se o adiamento para evitar confusão com outros diagnósticos diferenciais. Adiar até a recuperação clínica total e pelo menos 4 semanas após o IS ou 4 semanas a partir da primeira amostra de PCR ou teste antigênico em pessoas assintomáticas;

– Moradores ou pacientes que vivem institucionalizados (ILPE, PPL, situação de rua, abrigos, indígenas, quilombolas) com exposição à Covid-19 e aguardando teste podem ser vacinados desde que não apresentem sintomas consistentes com à Covid-19.

Contraindicações

– Hipersensibilidade ao princípio ativo ou qualquer dos excipientes da vacina;

– Para aquelas pessoas que já apresentaram uma reação anafilática confirmada (CRIE) a uma dose anterior da vacina.