No Dia do Escritor, 25 de julho, a Imprensa Oficial Graciliano Ramos relembra a trajetória de incentivo à produção literária alagoana. Fundado em 1912, para edição e publicação do Diário Oficial do Estado de Alagoas, o órgão ganhou notoriedade entre os autores e os leitores alagoanos a partir da criação de sua editora, no início dos anos 2000, quando, também adotou o nome fantasia em referência ao “Velho Graça”, ex-presidente da empresa e um dos principais expoentes da literatura brasileira.

Desde então, o principal objetivo da editora é promover, de forma equivalente ao grande mercado, as obras voltadas a conteúdos de origem, genuinamente, alagoana – seja por meio de autores nascidos em Alagoas ou radicados no estado. Para isso, a Imprensa Oficial tem adotado, nos últimos anos, uma política permanente de editais de incentivo à produção literária, que, juntos, totalizam mais de 200 obras publicadas com o selo do órgão, sem custo algum para os escritores.

Os últimos editais contemplaram diferentes segmentos, entre eles: obras ficcionais, como romances, poesias e contos; literatura infantil, por meio da Coleção Coco de Roda; e obras não-ficcionais, como biografias, fotografia, estudos antropológicos e livros de receitas.

Impactados pela eclosão da pandemia da Covid-19, algumas das obras contempladas no edital de 2019 voltam à cena, com lançamento na próxima Bienal Internacional do Livro de Alagoas, entre os dias 11 e 20 de agosto, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió. Neste ano, o evento, realizado pela Universidade Federal de Alagoas e pelo Governo do Estado, contará com estande permanente da Imprensa Oficial, que lançará 30 novos livros, durante os dez dias de atividades.

Clássicos da literatura

No catálogo da Imprensa Oficial, encontram-se grandes nomes da literatura alagoana e brasileira. Entre os mais renomados, destacam-se Jorge de Lima, com sua obra infantil O Mundo do Menino Impossível; Lêdo Ivo, com Ninho de Cobras e Calabar; Luiz Gutemberg, com O Anjo Americano; e Aurélio Buarque de Hollanda, com Dois Mundos.

Já entre os autores contemporâneos, o destaque vai para Natasha Tinet, autora de Veludo Violento, obra publicada pela Imprensa Oficial, por meio da política de editais, e vencedora do 2º lugar do Prêmio Literário da Fundação da Biblioteca Nacional, na categoria Poesia, em 2019.

Política de editais

As inscrições para os editais são feitas em plataforma online, disponibilizada pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos, no site e nas redes sociais do órgão. De acordo com a gerente de editoração, Patrycia Monteiro, o método utilizado é seguro e justo. “O edital tem três características: é democrático, transparente e isonômico. Fizemos um esforço para ser assim e conseguimos. Por isso, a comunidade de escritores dá credibilidade ao processo e faz questão de participar dele”, destaca.

Patrycia Monteiro explica que, mesmo os autores mais conhecidos, são tratados de forma igualitária, tornando os processos seletivos, cada vez mais, disputados, respeitados e com alto grau de excelência. “Muitos escritores que são reconhecidos e renomados em Alagoas, humildemente, participam do edital junto aos escritores iniciantes, estando na disputa com pé de igualdade”, ressalta.

Após a etapa de inscrição, as obras são enviadas para a avaliação de equipe de pareceristas indicada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) e composta por especialistas em cada temática abordada. Toda a tramitação ocorre de forma anônima, para não haver nenhuma ocorrência durante a avaliação. Após o término da análise, os autores podem solicitar o parecer detalhado, gratuitamente.

Em geral, os livros publicados a partir dos editais da Imprensa Oficial Graciliano Ramos são lidos por, pelo menos, 3 especialistas. Dependendo do contexto de avaliação da obra, se for detectada alguma suspeita, é convocado outro especialista para tirar a dúvida.

O primeiro edital da Imprensa Oficial Graciliano Ramos com esse intuito ocorreu em 2011, com a pequena adesão de 12 candidatos. Com o passar do tempo, a política da Imprensa Oficial se popularizou e tornou-se um dos projetos mais procurados entre os escritores alagoanos, chegando ao total de mais de 150 candidaturas por edital.

A diversidade 

A Imprensa Oficial Graciliano Ramos aceita diversos tipos de obras e autores. A prioridade das etapas de seleção é escolher o livro com maior qualidade de conteúdo, seja qual for o assunto e a área destinada. Os dois únicos gêneros não aceitos são os livros de autoajuda e voltados à doutrinação religiosa.

Todas as obras da Imprensa Oficial Graciliano Ramos estão disponíveis na loja virtual, com frete grátis para Maceió, ou na sede do órgão, situado na Avenida Fernandes Lima, Km 07, no bairro da Gruta de Lourdes, na capital alagoana.