O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) lançou nesta quinta-feira (23/2), na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o Centro de Síntese em Mudanças Ambientais e Climáticas (SIMAClim). O projeto é conduzido pela Rede CLIMA — rede de pesquisas vinculada ao MCTI — e terá investimento de R$ 10 milhões. Os recursos são do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) e foram liberados por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), empresa pública vinculada ao MCTI.

O SIMAClim reunirá pesquisadores sêniores do Brasil e do mundo para trocar informações e realizar uma síntese robusta sobre temas de grande impacto global, relacionados às mudanças ambientais e climáticas. Esses assuntos serão identificados pela comunidade científica, pelo MCTI e pela própria sociedade. A ideia é que os relatórios produzidos pelo SIMAClim possam subsidiar o Estado brasileiro na tomada de decisões e na elaboração de estratégias e políticas públicas.

Há uma estimativa, de acordo com o coordenador da Rede CLIMA e vice-reitor da UFPE, Moacyr Araújo, de que existam, atualmente, cerca de 15 centros de síntese no mundo. A iniciativa tem prazo de execução de 48 meses. Araújo ainda apresentou a proposta de criação do Centro de Estudos e Pesquisas Energéticas do Nordeste (Cepenne). A proposta é atuar na pesquisa e desenvolvimento nas áreas de eficiência energética, energia solar, eólica, biomassa, rotas tecnológicas de hidrogênio, energia de ondas, entre outras.

Fonte: Gov.br