A vida do cabo PM Alysson Lira flutua entre o mundo da segurança pública e o universo das artes marciais. Servindo nas fileiras da Polícia Militar de Alagoas, Alysson não apenas veste a farda, mas também o kimono, empenhando-se em duas missões distintas: proteger a população alagoana e conquistar títulos internacionais no karatê. O próximo desafio do militar é o Campeonato Mundial de Karatê, que ocorrerá entre os dias 13 e 16 de julho, na cidade de Dundee, na Escócia.

O Caminho do Sucesso

A carreira de Alysson no karatê é marcada por conquistas impressionantes. Como atleta, ele garantiu o primeiro lugar em dois campeonatos Norte-Nordeste e venceu 15 campeonatos alagoanos. A determinação e o talento do cabo da PM o levaram ao topo duas vezes, como campeão brasileiro. Esse bicampeonato, conquistado em 2022, foi a chave para o próximo desafio: a competição mundial na Grã-Bretanha. Alysson ingressou na PM em 2013, serviu em unidades operacionais da capital e do interior e atualmente atua no Comando de Policiamento da Capital (CPC).

A Simbiose entre a Arte Marcial e o Serviço Militar

Para Alysson, o karatê vai além de uma mera arte marcial, é um estilo e uma filosofia de vida. Ele enxerga semelhanças profundas entre a arte do karatê e a vida militar, onde doutrina, disciplina e hierarquia são pilares essenciais. Com essa perspectiva e sob a orientação do técnico Edgar Lucena, Alysson tem se esforçado para a competição, balanceando a rotina de serviços, paternidade e treinos para o campeonato mundial.

Uma Linhagem de Caratecas Combatentes

Aos 29 anos, Alysson é herdeiro de uma tradição familiar de caratecas. Ainda na infância, aos cinco anos, ele deu seus primeiros passos na modalidade e desde então tem participado de competições estaduais, nacionais e acumulado títulos. A influência para sua carreira no esporte e na vida, ele atribui ao pai, o major Edson Ferreira, referência na área de Defesa Pessoal na Corporação e atual presidente da Federação Alagoana de Karatê Interestilos (Feaki). A família ainda conta com outro atleta, militar e faixa preta: o cabo Elicleyton, um ano mais velho que Alysson e com o mesmo tempo de serviço na polícia.

Um Apelo pelo Apoio

Antes de subir ao tatame na Escócia, Alysson e sua equipe têm um desafio imediato: a arrecadação de recursos. As passagens já estão garantidas, porém as despesas com hospedagem e alimentação ainda são obstáculos a serem superados. Eles continuam buscando patrocínio e apoio. Interessados em contribuir para essa jornada podem entrar em contato (82) 99610-2015 ou e-mail [email protected].