Polícia Científica de Alagoas é referência em isolamento e preservação de locais em crime

O trabalho realizado por dois peritos criminais do Instituto de Criminalística de Alagoas está sendo utilizado para qualificar profissionais das forças de segurança do Brasil inteiro. O caso real virou exemplo bem-sucedido em um curso sobre perícia criminal em locais de crime da Rede EaD da Secretaria de Gestão e Ensino em Segurança Pública (Segen) do Ministério da Justiça.

A chefia do Instituto de Criminalística de Alagoas explicou que a Segen entrou em contato solicitando um exemplo exitoso de Alagoas para fazer parte da instrução on-line. O caso selecionado foi a perícia sobre a morte do empresário arapiraquense Valcir Leite Tenório de 37 anos, ocorrido no dia 19 de agosto de 2019.

As perícias e os resultados alcançados através das atividades desenvolvidas pelos peritos criminais Clisney Omena e Ivan Excalibur confirmaram a autoria do assassinato. A aplicação do procedimento operacional padrão do ciclo de isolamento, preservação e perícia no local do crime, permitiu a localização de provas técnicas que confirmaram a presença de um dos suspeitos no local do crime.

O empresário Valcir Tenório foi rendido, ferido por arma branca e queimado vivo no povoado Bom Sucesso, zona rural de Coruripe, Litoral Sul de Alagoas. Ele chegou a ser socorrido, prestou depoimento, mas morreu poucos dias depois no Hospital Geral do Estado (HGE) em Maceió.

A caminhonete que a vítima dirigia no dia do crime foi localizada em um trecho da rodovia AL-110, na zona rural de São Sebastião. O correto isolamento e preservação do veículo automotor, permitiu ao perito criminal Clísney Omena, encontrar, revelar e coletar fragmentos de impressões dígito-papilares durante os levantamentos técnico-periciais de vestígios no local.

“Os corretos procedimentos de isolamento e preservação do veículo da vítima permitiram que o levantamento papiloscópico resultasse na coleta de diversos fragmentos papilares, dos quais dois deles com excelente qualidade para confronto com as impressões digitais dos suspeitos,” disse Omena.

blank

Na época, o material coletado foi encaminhado para o setor de Perícias Internas, onde o perito criminal Ivan Excalibur confrontou os fragmentos papiloscópicos localizados no retrovisor interno do veículo com fichas datiloscópicas de suspeitos. A perícia papiloscópica positivou um deles, e José Willames França da Silva foi identificado, localizado e preso pelo crime de homicídio qualificado.

“O isolamento e a  preservação do local de crime é a pedra fundamental para um bom exame de local e as demais perícias complementares obtidas a partir daquela etapa! No caso em apreciação, com um bom início foi possível a realização de uma perícia extremamente minuciosa onde se obteve fragmentos papiloscópicos perfeitos para comparação, tanto no sistema de identificação civil, quanto em um confronto direto!”, afirmou o perito Ivan Excalibur.

De acordo com a Diretoria de Ensino e Pesquisa da Segen, o caso alagoano está destacado no módulo três do curso com carga horária de 20 horas/aula que apresenta casos reais que demonstram a importância do isolamento e da preservação de locais de crime. O curso pode ser acessado apenas por agentes de segurança pública através da plataforma da Rede EaD da Segen.

Eles ainda explicaram que a instrução foi criada para capacitar a atuação de agentes de segurança pública de todo o país em locais de crime quanto à preservação da prova, e a idoneidade dos vestígios encontrados. Desta forma proporcionar aos peritos criminais uma correta análise no âmbito investigativo face à aplicação de técnicas forenses, com o intuito de se chegar à elucidação da verdade do caso.

About Marcelo Barros, com informações do Governo do Estado de Alagoas

blank
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

Check Also

blank

PM-AL FORMA NOVOS NEGOCIADORES DE CRISES EM CURSO REALIZADO EM SERGIPE

A Polícia Militar de Alagoas (PM-AL) agora conta com dois novos negociadores de crise. O …