O Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, unidade vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), é também referência no atendimento de urgência e emergência aos pacientes com doenças cardiológicas. Para isso, ele conta com um Serviço de Hemodinâmica, onde são realizados os cateterismos e as angioplastias, além de dispor de uma Unidade de Dor Torácica, destinada à internação. Oferece, ainda, leitos de Observação Cardiológica e de Enfermaria, onde os pacientes recebem atenção de médicos cardiologistas.

Entre os exames que fazem parte da rotina dos pacientes cardiopatas está o Eletrocardiograma, com o aparelho é possível transmitir, de forma gráfica, a atividade elétrica do coração. É por meio dele que é possível observar principalmente se o ritmo de batimentos cardíacos está normal ou não e se as câmaras do coração estão se movimentando como deveriam. É muito útil para identificar arritmias e alterações no ritmo cardíaco.

Segundo o diretor do HGE, Fernando Melro, o serviço de urgência e emergência cardiológico da maior unidade hospitalar do Estado tem sido fundamental para evitar mortes e aliviar as dores de quem sofre com crises cardíacas súbitas. “O nosso objetivo é assistir os nossos pacientes como eles merecem, aliviando dores e restabelecendo a sua saúde. A nossa equipe é qualificada para isso e tem competência de, dentro do que observam, estudar os exames realizados, como os de imagem e os laboratoriais. O nosso serviço funciona 24 horas e está disponível e preparado para assistir o alagoano no momento que precisar”, pontuou.

Constatação

Por ser porta-aberta e referência na assistência cardiológica de urgência e emergência para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), o HGE recebe pacientes como o motorista aposentado Cícero Pedro dos Santos, de 71 anos.

blank

“No fim do mês passado, eu senti uma pontada no peito e, por ser a noite, achei melhor descansar. No outro dia fui à praia do Francês e, em seguida, decidi ir ao hospital da minha cidade. Quando a médica fez o eletrocardiograma, ficou assustada com a lentidão do meu coração e não me deixou voltar para casa. Fiquei internado e depois fui transferido para o HGE”, lembrou.

A transferência para o HGE ocorreu no último dia 3 de julho, uma vez que o motorista aposentado ainda se queixava de dores no coração. Hipertenso e diabético, foi acolhido pela equipe especializada da UDT e recebeu a assistência necessária. O resultado foi o alívio da dor e o início de sua preparação para o implante de um marca-passo definitivo, que ocorreu na última quinta-feira (27), já no Hospital do Coração Alagoano Professor Adib Jatene, no bairro Cidade Universitária, em Maceió, unidade também vinculada à Sesau.

“Graças a Deus deu tudo certo. Só tenho a agradecer à equipe do HGE, que me recebeu, cuidou de mim, estabilizou meu quadro clínico e me deixou preparado para fazer o implante de marca-passo. Depois de todo o processo, fui transferido para o Hospital do Coração Alagoano, onde os médicos fizeram o procedimento e já me encontro na minha residência, em Marechal Deodoro, na companhia da minha família e me recuperando plenamente”, destacou Cícero Pedro dos Santos.

Eficiência

O exemplo do motorista aposentado comprova a eficiência do atendimento de urgência e emergência cardiológica realizado pelo HGE, conforme destaca o secretário de Estado da Saúde, médico Gustavo Pontes de Miranda. “Alagoas conta com uma rede hospitalar preparada para atender os pacientes com problemas cardíacos. No primeiro momento os cardiopatas são atendidos no HGE, que é porta aberta e referência em urgência e emergência e, após a estabilização, são transferidos para o Hospital do Coração Alagoano, caso precisem de assistência complementar”, destacou o gestor da saúde estadual.