João Monteiro / Ascom Fapeal

Na Costa dos Corais: Cientistas educam crianças com brincadeiras

Outubro não é apenas o mês das crianças, mas também o mês da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Nesse contexto, os pesquisadores do projeto ‘Mar à Vista’, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), promoveram uma semana de sessões de cinema educativo para crianças de cinco municípios.

O “Mar à Vista” faz parte do Programa Ecológico de Longa Duração na Área de Proteção Ambiental (APA) da Costa dos Corais (PELD-CCAL). Desde 2017, o programa recebe financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e do Governo de Alagoas, por meio da sua Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeal).

O PELD-CCAL, além de toda a parte científica, também executa ações comunitárias, de comunicação científica e de educação ambiental. Durante a pandemia de Covid-19, em 2020, a equipe desenvolveu um desenho animado infantil ambientado no fundo do mar da Costa dos Corais alagoana.

 

O Mar à Vista é um projeto de sensibilização ambiental para crianças. O desenho animado tem várias outras atividades vinculadas a ele, a partir dos personagens: cartilha educativa, atividades de pintura, teatro de fantoches, livros, etc.

Personagens, músicas, dublagem, tudo é feito pelos cientistas e comunicadores do laboratório e alguns colaboradores, com a cor local e o conhecimento científico. O desenho é publicado no canal oficial do Lacos 21 no YouTube, inclusive com versões dubladas em Língua brasileira de sinais (Libras): https://www.youtube.com/@Lacos21/playlists.

Durante uma semana, aproximadamente 300 crianças de escolas públicas de cinco municípios tiveram a oportunidade de viajar até Maceió, e conhecer o cinema, no Centro Cultural Arte Pajuçara, acompanhadas por docentes e com autorização por escrito dos pais e responsáveis. Elas vieram da Barra de Santo Antônio, de São Miguel dos Milagres, Porto Calvo, Porto de Pedras e Paripueira.

Lá, assistiram a uma versão especial do episódio “Viagem no Tempo”, onde se explica de forma lúdica, a diferença que faz uma APA, além da importância de não pisar nos corais e de deixar os caranguejos “namorarem” numa certa época do ano, dentre outras realidades ecológicas.

Também ganharam lanche e receberam, para levar para casa, outros materiais impressos do PELD-CCAL, onde poderão aprender sobre o manguezal, peixes-boi, tartarugas marinhas, estrelas do mar e muito mais, a respeito do ambiente costeiro perto de onde vivem.

 blank

Os pesquisadores do Lacos 21 conseguiram financiamento para o evento através de um edital do CNPq, com recursos do Ministério da Ciência, da Tecnologia e da Inovação.

CIÊNCIA À VISTA

A professora Ana Cláudia Malhado, docente da Ufal e doutora em Ecologia de Ecossistemas e Biogeografia pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, e vice-coordenadora do PELD-CCAL, explica. “Focamos em crianças de escolas públicas, que geralmente não têm oportunidade de ir ao cinema. A ideia foi oportunizar um momento único para elas, com um projeto educativo em que elas pudessem aprender um pouco sobre a conservação dos oceanos”, explicou.

“O PELD-CCAL tem muito orgulho de ter esse diálogo com a comunidade, ela faz parte do nosso projeto. A gente tem contato com os pescadores e com as marisqueiras todo fim de semana. Somos uma equipe que busca trabalhar com as comunidades”, disse a ecóloga.

“Além do ‘Mar à Vista”, que é focado nas crianças, a gente tem o ‘Peld é Comunidade´. Explicamos a nossa ciência e damos a devolutiva, essas ações são pilares do nosso projeto. Desenvolvemos as pesquisas na região e depois retornamos, para mostrar os nossos resultados”, comentou Ana Malhado.

A professora Lidiane Oliveira é coordenadora na escola Doutor Pedro Reis, em Paripueira. Ela e seus colegas acompanharam aproximadamente 70 crianças na tarde da sexta (20).  “É importante, porque eles podem vivenciar algo fora do ambiente escolar, além de conhecer o cinema, saber sobre como proteger o meio ambiente, como a gente deve proteger os corais. É um complemento do que se trabalha em sala de aula”, observou.

SAIBA MAIS

O PELD-CCAL é coordenado pela professora Nídia Fabré, doutora em Ciências Biológicas na Universidade de Mar del Plata, na Argentina. O Lacos XXI é coordenado por Ana Malhado e Richard Laddle, doutor em Ecologia Teórica por Oxford. Todos atuam como pesquisadores e professores no ICBS da Ufal.

About Marcelo Barros, com informações do Governo do Estado de Alagoas

blank
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

Check Also

blank

ALAGOAS SE DESTACA NA REDUÇÃO DE PERDAS DE ÁGUA POTÁVEL E TEM O SEGUNDO MELHOR RESULTADO DO BRASIL

Maceió, capital de Alagoas, foi destaque no Ranking de Perdas 2024, divulgado pelo Instituto Trata …