Desde a última segunda-feira (16), a vida de Arthur Farias (16) parece ter dado um giro de 180°. Em atividade escolar externa à sala de aula da Escola Estadual Princesa Isabel, em Maceió, ele entrou em ritmo acelerado, superou o cansaço da carga horária corrida, para aproveitar o máximo sua participação na Semana Interinstitucional de Pesquisa, Tecnologia e Inovação na Educação Básica (Sinpete), encerrada nesta sexta-feira (20).

Arthur integra, desde setembro passado, o novo edital do Programa de Bolsas de Iniciação Científica Júnior (Pibic Jr.) Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), e graças ao apoio da instituição, sua ideia, antes engavetada, ganhou ares de realidade e ele conta que tanto a oportunidade da iniciação científica com bolsa quanto a participação no Sinpete, durante toda esta semana, são importantes em seu processo de ensino-aprendizagem.

“Participar do edital é bastante incentivador e como tivemos esse longo prazo para a finalização da bolsa, que vai ser ano que vem, vou ter muito tempo para colocar projetos científicos em dia, vários meses para estudar e me aprofundar mais, além de participar de eventos como a Sinpete, que vão avaliar meu progresso científico e acadêmico. Também é uma oportunidade para trazer visibilidade e, consequentemente, investimentos para o projeto”, apontou.

Filtro de Carvão

blank

 Ao lado de Arthur, o estudante Kaio Vinícius (16) é parceiro no mesmo projeto: o Filcae – um filtro de carvão ativado que surge como possibilidade de resolver o problema da emissão de carbono (que é prejudicial à atmosfera) e vem aumentando ano após ano. A pesquisa propõe um filtro que seria envolto por aço inoxidável, material resistente ao calor, também com carvão ativado, que tem grande capacidade de absorver gases e líquidos poluentes, e cerâmica, por causa de seus poros.

“Participar desse evento é uma oportunidade de levar adiante; ter investimentos; dar continuidade aos estudos científicos sobre carvão ativado, o que pode proporcionar uma melhoria no filtro”, celebrou o jovem.

Apricity Smart

Outro estudante também bolsista de Programa de Iniciação Científica Júnior da Fapeal, é Kauan Barbosa (17), que desenvolveu a Apricity Smart, cujo propósito é ajudar as pessoas a terem melhor qualidade de vida com o uso de robótica e de programação. “Parece, às vezes, que o nosso dia precisaria ter 48 horas para a gente fazer tudo. Às vezes a gente esquece de fazer um relatório, colocar comida pro gato, não por querer, mas porque estamos tão imersos na nossa rotina, que não sobra tempo. A minha empresa visa solucionar esses problemas”, cravou.

Para ele, expor sua ideia na Universidade Federal de Alagoas tem sido uma experiência única. “Eu sempre fui muito ligado na área da ciência, da tecnologia e das inovações. Oficialmente, eu estou no Pibic Jr. desde setembro e devo prosseguir até o final da bolsa. E posso dizer que vejo a importância da Sinpete, da Fapeal, da Ufal proporcionar esse evento, que abre bastante portas, como um momento ímpar”, classificou.

Inclusão

Matheus Feijó tem apenas 15 anos, mas deu luz a um ponto chave na atualidade: a inclusão. Seu trabalho surgiu como uma homenagem, como ele mesmo classifica, a um professor de Inglês com quem estudou no 8º e 9º anos do ensino fundamental. Com Transtorno do Espectro Autista (TEA), o professor usava fones em sala de aula, para ter menos incômodo quanto ao barulho no local de trabalho.

Foi assim que ele pensou numa iniciativa para ajudar mais pessoas que tenham diversos graus de autismo, do mais leve, ao mediano, e até mesmo o mais avançado. “A ideia que estou propondo serve também para ajudar na inclusão de alunos autistas e no desenvolvimento tecnológico, pessoal e cognitivo deles. Eu fico muito grato por apresentar o meu projeto para a Fapeal, aqui na Sinpete. Uma honra ser aceito para apresentar esta ideia inovadora”, comemorou.

Ao mestre, com carinho

Segundo Arthur Farias, foi a partir do incentivo de seu orientador, o professor Rafael Holanda, que ele teve ainda mais motivos para, ao lado de Kaio Vinícius, dar o start na ideia exposta na Sinpete 2023. Eles agradeceram em especial ao orientador Rafael Holanda que, como doutorando da Ufal, conseguiu disponibilizar laboratórios. “Ele foi responsável pela oportunidade de nos inscrever no Pibic, incentivando nosso lado acadêmico-científico, e de nos fazer melhorar todos os dias como estudantes, como pessoas e futuros empreendedores”, disse Arthur.

Kaio reiterou a fala do amigo e listou a Escola Princesa Isabel em seus agradecimentos.

Com essa mesma gratidão, manifestou-se também Kauan Barbosa. “O professor falou comigo, com outros integrantes sobre a Sinpete. E essa ideia, na verdade, eu já tinha, mas ela tava meio que enterrada e foi reacendida agora, pela Fapeal. Eu queria agradecer ao meu professor-orientador, Rafael Holanda, à Escola que vem apoiando a gente sempre e à Fapeal, pela oportunidade de estar aqui”, disse ele.

Orgulhoso, o professor retribuiu o carinho. “A gente acredita que fazer educação para esses meninos é fazê-los pensarem fora da caixa, literalmente. Se você for parar pra pensar, todos os temas dos trabalhos que eles trouxeram são dores deles, dores reais. E o que a gente fez foi, junto ao meu conhecimento na área da tecnologia, tentar ver uma solução útil e divertida que eles conseguissem trabalhar em função disso”, declarou.

Holanda classificou o incentivo como acolhimento. “Basicamente, foi mais como um acolhimento, onde eles se abriram para falar de problemáticas que eles tiveram, e pensar em como solucioná-las de forma criativa e inovadora. O agradecimento dos alunos é um resultado, não só do meu trabalho, mas de um coletivo, de toda a gestão, coordenação e de outros docentes da escola que agregam isso”, celebrou Rafael.

Dez jovens cientistas: muitas ideias pela frente

O novo edital do Pibic Jr., lançado este ano, é uma das iniciativas do programa Mais Ciência Mais Futuro, que vai investir R$ 200 milhões em Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) nos próximos 4 anos. Por meio do edital, Rafael Holanda tem dez alunos bolsistas trabalhando em projetos específicos que seguem os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), cada um com suas peculiaridades, o que motivou o surgimento das ideias apresentadas na Sinpete 2023.

“Antes disso aqui, nós vivenciamos um período pandêmico, e a Fapeal ter dado essa oportunidade para eles é um momento em que vão superar essa defasagem, porque estão estudando cada vez mais e se sentem mais motivados a isso. Então, essa é uma oportunidade de crescerem e chegarem na Universidade ainda mais preparados, diferente de mim que, quando estudante, não tive essa oportunidade que eles têm hoje”, salientou o professor

“Quero agradecer à Fapeal por facilitar esse convívio com esses estudantes, porque eu, enquanto professor de Matemática, trabalhar com Tecnologia e esse lado social com os estudantes, é resultado do que a Fapeal, do que a Seduc [Secretaria de Estado da Educação], do que a Secti [Secretaria de Estado da Ciência, da Tecnologia e da Inovação] vêm proporcionando. E, claro, à gestão da Escola, à diretora que proporciona isso, e facilita bastante esse trabalho. Veja, eles estão aqui, uma semana ausentes da escola, mas estão trabalhando duro”, concluiu o professor.