Estudante da Escola Estadual José Correia da Silva Titara, Claudomir Manuel de Jesus Júnior, de 17 anos, tornou-se o primeiro medalhista de ouro de Alagoas na modalidade Wrestling dos Jogos da Juventude, que aconteceu em Ribeirão Preto-SP. E no retorno à terra natal, o jovem campeão foi recebido com muita festa por professores e colegas de turma, que o parabenizaram pela conquista histórica com uma série de homenagens nessa segunda-feira (11), em Marechal Deodoro.

E o merecido reconhecimento decorre não apenas da perseverança no esporte, mas também fora dele. Morador de Marechal, ele conta que persegue o sonho de se tornar um atleta profissional desde os nove anos de idade, quando iniciou no futebol, mas, pouco tempo depois, migrou para o wrestling graças ao Projeto Brutus, que acolhe jovens do povoado Barra Nova. E a consagração veio após diversas tentativas sem nunca ter conseguido chegar ao pódio na luta olímpica.

blank

“É muito bom conquistar algo pelo qual trabalhei duro. Treinei bastante durante todo esse tempo para fazer bonito, para dar o meu máximo. Foram lutas duríssimas, e não é a primeira vez que eu tento. Foram quatro anos sem nunca conseguir sequer o terceiro lugar. E conquistar o ouro no meu último ano de competição foi, sem dúvida, um sonho realizado”, garante Claudomir, destacando também o incentivo dos professores e colegas de turma.

Claudomir integrou a delegação de Alagoas na competição que reuniu mais de quatro mil atletas de todo o país. Todos os atletas alagoanos contaram com o apoio do Governo do Estado, que garantiu fardamento e passagens aéreas.

blank

Já entre os professores de Claudomir, Lucilene Rodrigues, que leciona Língua Portuguesa, era só orgulho. “Vê-lo como primeiro medalhista de ouro de Alagoas foi muito emocionante. Essa conquista me fez lembrar a campanha que fizemos para apoiá-lo. Mantivemos contato durante toda a competição, e eu sempre deixava a turma informada sobre tudo. E foi tudo muito prazeroso porque a vitória dos nossos alunos é a vitória da escola, é a vitória de cada professor. A gente fica bastante feliz com a trajetória dele”, declarou.

Agora, para Claudomir – que até já competiu em países como Sérvia, México e Hungria –, o ‘céu é o limite’. Os treinos continuam a todo vapor, e a meta é realizar o sonho de uma medalha olímpica, como atesta o treinador, diretor do projeto Brutus e presidente da Federação Alagoana de Lutas Associadas (Falla), Eder Paiva.

blank

“Ele participou de uma das competições mais difíceis do Brasil. E isso vai ser muito importante no futuro porque a maioria dos atletas olímpicos também já participaram de disputas como essa. Foi um passo muito importante para uma carreira promissora e que está só começando”.