A riqueza da cultura alagoana ganhará destaque no Museu Palácio Floriano Peixoto,  com a exposição “Teka e o Bordado Filé de Alagoas”. Terezinha de Araújo Medeiros, carinhosamente conhecida como Teka Rendeira, será a estrela dessa mostra que celebra sua vida e obra. A abertura acontece no dia 16 de outubro, às 9h, data que marcaria o aniversário de 80 anos de Teka, e permanecerá disponível para visitação até o dia 20 de outubro.

Com a curadoria da especialista em moda Silvia Santos, essa exposição não apenas homenageia a artesã do Pontal da Barra, mas também destaca sua contribuição nacionalmente reconhecida no mundo do bordado filé. Teka Rendeira, cuja habilidade em criar filé no Pontal da Barra, se tornou icônica, foi até imortalizada na famosa canção “Só em Maceió”, gravada pelo renomado cantor e compositor Martinho da Vila em 1981.

De acordo com a curadora, a exposição surgiu como resultado de uma imersão de dois anos na comunidade do Pontal da Barra. Durante esse período, Silvia mergulhou de cabeça na prática do filé, aprendendo a tecer e bordar essa arte única. Essa profunda interação permitiu a compreensão da urgência de compartilhar com o público a importância dessa técnica. Estudos já apontam que Alagoas é o último reduto que mantém um modelo de produção distinto, se destacando pela riqueza dos pontos e harmonia das cores, características que o diferenciam dos locais que produzem em menor escala.

blank

Sua intenção por trás dessa homenagem à artesã alagoana é celebrar uma das mais destacadas representantes do bordado filé em Alagoas. Teka Rendeira, uma dedicada entusiasta dessa forma de arte manual desde sua infância, iniciou seu percurso em 1978. A exposição exibirá um acervo pessoal da artista, que inclui fotografias, trajes, peças decorativas e as ferramentas de trabalho que moldaram sua jornada, permitindo aos visitantes mergulharem na essência do filé alagoano.

Na cerimônia de abertura, além de admiradores da artista, estarão presentes sua filha, Rosa Maria, a presidente da Associação dos Artesãos do Pontal da Barra, Valéria Viana, e outras rendeiras convidadas.

“A exposição visa a introduzir ao público em geral a importância do bordado filé de Alagoas, cujo destaque é exemplificado por Teka Rendeira. Desde a década de 70, Teka tem sido uma figura fundamental na valorização do filé de Alagoas, graças à sua habilidade empreendedora e suas características pessoais encantadoras, que cativam todos que visitam o Pontal da Barra, bairro de Maceió. Até os dias de hoje, Teka continua a ser uma fonte de inspiração para as artesãs que praticam essa técnica e vendem suas criações”, explicou Silvia.

Teka Rendeira

Nascida em Maceió, Alagoas, Teka era uma moradora do bairro do Pontal da Barra, cuja jornada no mundo do filé começou quando tinha apenas oito anos. Ela absorveu essa arte valiosa com sua mãe e, aos 15 anos, já produzia peças para a venda. O que sempre a diferenciou foi sua alegria contagiante e sua habilidade criativa na construção de suas peças. Teka era uma alma alegre, amigável, acolhedora e empreendedora, sempre em contato com o público. Desde tenra idade, ela se sentava na frente de hotéis, exibindo sua maestria na criação do filé de Alagoas. Sua presença brilhante se estendia a congressos, exposições, feiras e ao seu ateliê no Pontal da Barra.

blank

Teka representa um capítulo significativo na história de Alagoas, valorizando a autêntica e original arte de fazer filé, transmitida por sua geração. Diversas personalidades e entidades reconheceram a beleza de suas peças e sua importância para o público.

“Tive o privilégio de conhecer um pouco da história de Teka Rendeira. Seu comprometimento com a preservação e promoção do bordado filé e sua contribuição para a riqueza do patrimônio cultural do estado são inestimáveis. Teka é um símbolo de resiliência e criatividade que permanecerá como uma inspiração para as futuras gerações de artesãos e amantes da cultura alagoana”, disse a secretária de Estado da Cultura e Economia Criativa, Mellina Freitas.

Em 2021, a sociedade alagoana sofreu uma grande perda com o falecimento de Teka devido a um câncer. Sua filha, Rosa Maria de Araújo Medeiros, a única herdeira viva, é a guardiã dessa história de vida e cultiva a arte com as mesmas técnicas que sua mãe lhe ensinou. Ela ajudava Teka em suas produções e, hoje, tem plena autoridade para reconhecer uma peça autêntica de Teka Rendeira, pois compartilhou momentos e experiências inestimáveis com ela.

Museu Palácio Floriano Peixoto

O Museu Palácio Floriano Peixoto é um equipamento cultural do Governo de Alagoas administrado pela Secretaria de Estado da Cultura e Economia Criativa. Suas portas estão abertas para visitantes de terça a quinta-feira, das 8h às 17h, e na sexta-feira, das 8h às 14h. Para agendar visitas de grupos, entre em contato através do e-mail [email protected].