Alexandre Teixeira/ Secult

Exposição imersiva sobre mulheres e mestras da Cultura Alagoana chega ao Museu da Imagem e do Som de Alagoas

Para valorizar a cultura popular alagoana e proporcionar um reencontro com as tradições, a Secretaria de Estado da Cultura e Economia Criativa (Secult), por meio do Museu da Imagem e do Som de Alagoas (Misa), exibe a exposição “Retrato Reencanto” da artista arapiraquense Izabella Vitória.

A mostra da artista multimídia, que iniciou na sexta-feira (7), carrega a proposta de homenagear e trazer o retrato de personalidades da Cultura Alagoana. Além disso, proporciona um mergulho no imaginário da realidade, por meio de cada obra pintada a óleo, retratando a história das mulheres e das mestras alagoanas que lutam por um mundo sem opressões sociais. Para Izabella Vitória, a exposição busca possibilitar que o público sinta um reolhar das várias vertentes do trabalho dessas mulheres. “Reolhar a história dessas mulheres despertou um desejo de ampliar e disseminar para as novas gerações o pouco que aprendi com elas”, contou a artista.

“O intuito dessa exposição é instigar uma inspiração emancipatória e de pertencimento no imaginário popular através da criação de um cenário onde mulheres e mestras da Cultura Popular Alagoana fossem ressaltadas, podendo ilustrar as revoluções individuais como força propulsora coletiva e tecendo, desse modo, um desejo possível de reencantamento”, frisou Izabella.

Rosa Delfino é servidora pública aposentada e destaca a importância da exposição possibilitar uma visibilidade para as personalidades do nosso estado. “Eu achei uma sensibilidade forte da Izabella expor a realidade dessas mulheres em cada obra e permitir que cada visitante conheça um pouco da história delas”, disse a aposentada. “Quero parabenizar a iniciativa da Secult em dar oportunidade aos artistas, que, muitas vezes, não são muito conhecidos no nosso estado. Esse fomento à cultura é muito importante para o desenvolvimento de Alagoas. Estou torcendo para que a Secult possa repetir mais eventos como esse”, completou Rosa Delfino.

Os paulistas Ana Cláudia Rossbach e Erik Rossbach acabaram de chegar em Maceió e o Misa foi a primeira parada deles para conhecer a cultura do estado. “É superinteressante absorver a cultura alagoana por meio de obras de pinturas. Esse foi o primeiro ponto que a gente pediu realmente para começar, pois queríamos explorar o histórico bairro do Jaraguá”, disse Ana Cláudia. “Ficamos surpresos em ver uma jovem artista brasileira visibilizando essas mulheres poderosas em suas obras. Ter mais exposições como essa é indispensável, pois o retrato local de uma pessoa nativa é bem interessante. Além disso, é superimportante para gente conhecer a nossa própria cultura. E valorizar também o que é nosso. Foi maravilhoso ter essa oportunidade de entrar aqui nessa exposição e nesse museu”, completou a paulista.

A exposição

A exposição está acontecendo no Museu da Imagem e do Som de Alagoas, localizado no Jaraguá, com entrada gratuita. As treze obras ficarão expostas até o dia 7 de agosto, e podem ser visitadas de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Para a produtora da exposição, Madlene Delfino, produzir “Retrato Reencanto” pela segunda vez expõe a paixão pela cultura popular alagoana. “Eu acredito bastante no trabalho da Bella, primeiro porque tenho sentimentos fortes com a área cultural. Segundo porque a gente cria uma ligação tanto no âmbito profissional, quanto no pessoal. E acompanhar de perto a trajetória dessa relação artista-obra faz com que eu saiba o quanto é verdadeiro e feito com reverência a essas mulheres e manifestações representadas”, comentou a produtora.

blank

Segundo a organizadora do evento, a mostra “Retrato Reencanto” tem a proposta de transmitir uma sensação de realismo por parte de cada pintura. “A estética visual com cores quentes retrata de forma muito gostosa nossa memória, me acolhe e me sinto honrada em fazer parte disso, e espero ouvir as experiências pessoais de quem a visitar”, completou Madlene.

blank

O nome da exposição é impactante e carrega um conceito de reconectar as tradições alagoanas por meio do imaginário. A artista multimídia conta que cada retrato faz uma ponte para o imaginário da memória. “Bom, nesse sentido, a proposta de reencantamento aqui, parte também de um desejo de reconexão com nossas tradições a partir da luz lançada às mulheres e mestras que sempre estiveram aqui”, ressalta a artista. A exposição “Retrato Reencanto” é apoiada pelo Governo de Alagoas, através da Secretaria de Estado da Cultura e Economia Criativa (Secult), via Lei Aldir Blanc Alagoas.

Quem é

Izabella Vitória é uma artista multimídia que vive e desenvolve o seu trabalho artístico no município de Arapiraca, localizado na região do agreste alagoano. Sua área de pesquisa é centralizada no fazer artesanal e experimental. A pintura é a linguagem central utilizada nas suas produções.

Além disso, ela trabalha com diferentes materiais e suportes para expressar a sua arte, a exemplo da tatuagem. Sua primeira exposição individual foi realizada em 2019 com o tema “Casa de Passagem” em colaboração com o Abrigo Maria das Neves, situado em Arapiraca. Izabella já colaborou com artistas e instituições em produções de feiras, festivais e mostras de arte e cinema. Além disso, já fez mediações culturais em exposições artísticas.

blank

A artista assina a criação de capas de álbuns musicais, cenários, indumentárias e produção de arte para clipe musical. Assina a direção dos curtas-metragem “O Canto” financiado pela Agência Nacional de Cinema (Ancine) e produzido pela Céu Vermelho Fogo Filmes, e “O Funeral de Amarilis”, produção independente apoiada pela Lei Aldir Blanc, em etapa de finalização. Em 2019 codirigiu o documentário “Ana Terra”. Fundou o Ateliê Agrestina em 2018 e realizou duas edições da Mama – Mostra de Arte das Mulheres Alagoanas, em 2020 e 2022.

Link das fotos: https://drive.google.com/drive/folders/1mxl7_hC6gsRn9nCeZtbifF64wo6v13yD?usp=drive_link

About Marcelo Barros, com informações do Governo do Estado de Alagoas

blank
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

Check Also

blank

Maio Amarelo: Arena de Jogos Promove Atividades Educativas sobre Segurança no Trânsito

Para sensibilizar a população sobre boas práticas no trânsito, o Departamento Estadual de Trânsito de …