No último domingo, dia 12, a Sociedade Amigos da Marinha de Alagoas (SOAMAR-AL) teve o privilégio de visitar a Corveta Caboclo, ancorada no Porto de Maceió. Este evento permitiu aos membros da sociedade um contato próximo com uma das embarcações mais antigas ainda em operação na Marinha do Brasil.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

História e Legado da Corveta Caboclo

A Corveta Caboclo é um exemplar da classe Imperial Marinheiro e foi construída pelo estaleiro C.C. Sheepsbower & Gashonder Bedriff Jonker & Stans, em Rotterdam. Incorporada à Marinha em 16 de julho de 1955, ela carrega um rico histórico e é o quarto navio a levar o nome “Caboclo”, seguindo uma tradição que remonta a 1823.

Significado e Simbolismo

A embarcação tem como mascote o “Chico Bento”, uma figura que representa o caboclo brasileiro, simbolizando a essência resiliente e guerreira do povo do país. O lema “Tamos Aí” reflete a prontidão e versatilidade do navio, que está sempre pronto para atuar em diversas missões, incluindo operações de resgate e socorro.

Contribuição Significativa em Missões de Resgate

Dentre suas várias missões, destaca-se a participação da Corveta Caboclo nas operações de busca dos destroços do voo AF 447 da Air France em 2009. Este navio foi o primeiro a chegar ao local do acidente, desempenhando um papel crucial ao localizar os primeiros destroços e corpos, um feito notável que marcou profundamente sua trajetória operacional.

Experiência Enriquecedora para os Visitantes

Durante a visita, os associados da SOAMAR puderam conhecer em detalhes a estrutura e a funcionalidade do navio, com explicações minuciosas fornecidas pela tripulação. A oportunidade de aprender sobre a operação em que a Corveta Caboclo foi pioneira em localizar destroços de uma grande tragédia aérea foi particularmente impactante para todos os presentes.